A popularização de mangás e animes no Brasil

Há cerca de 10, 15 anos atrás, séries japonesas eram minoria  nas bancas . Mangá era um gibi em preto e branco que se lia de trás pra frente, que poucos se atreviam a ler, em relação a quantidade esmagadora que lia quadrinhos nacionais como Turma da Mônica ou HQs como Homem- Aranha e Batman. Já os animes ganhavam aos poucos um espaço na grade de programação das emissoras brasileiras, mas ainda assim não faziam o sucesso que séries americanas faziam, pois eram só mais alguns desenhos com pessoas de olhos grandes, que não mereciam tanto respeito. De certa forma, os quadrinhos e animações japonesas eram algo para um público restrito, para os poucos, mas ainda sim os animes faziam mais sucesso, pois eram apenas mais desenhos a serem exibidos para entreter o público infantil. Mas, com o passar do tempo, essa situação começou a mudar, e as séries japonesas passaram a se popularizar no Brasil, devido a vários acontecimentos, dentre os quais podemos destacar:

Rede Manchete

A saudosa Tv Manchete foi uma pioneira na exibição de animes no Brasil. Na década de 90, o público brasileiro conheceu os animes de Yu Yu Hakushô, Samurai Warriors, Super Campeões, Jiraya, Sailor Moon,Shurato ,Cavalerios do Zodíaco  e os tokusatsus Changeman,Flashman, Cybercops, entre mutios outros pela emissora. Foram 12 anos de exibição de séries de nipônicas em sua programação, e é uma das grandes responsáveisnão só pela chegada dessas  séries, mas pela sua popularização.

A vinda de Pokémon 

Com o caminho para a vinda de animes aberto pela Tv Manchete, a chegada do anime de Pokémon para o Brasil pelo Cartoon Network e logo pela Rede Record foi o maior percussor para a verdadeira invasão da febre de animes no Brasil. Os monstrinhos de bolso caíram no gosto do público brasileiro, ganhando 81212787128 produtos licenciados. O suecesso de Pokémon foi essencial para a vinda de Dragon Ball e outros animes para o Brasil.

Conrad Editora

Embora não tenha sido a primeira a lançar mangás no Brasil, a Conrad Editora foi a pioneira em lançá-los em um formato mais fiel ao original japonês, com leitura oriental sem inversão de quadros. Os mangás de Dragon Ball, Cavaleiros do Zodíaco foram sucesso incontestável de vendas, o que possibilitou a vinda de mais títulos, como Fushigi Yuugi, Neon Genesis Evangelion, Vagabond, Blade of The Immortal, entre outros.

Editora JBC

A Japan Brazil Comunication, mais conhecida como JBC , além de publicar seus mangás com leitura fiel ao original japonês, os lançou com tamanho e capas também fiéis. Como dividia uma edição tankohon em duas, as capas ímpares eram as originais, enquanto as pares eram de imagens licenciadas pela editora original no Japão.Isso foi muito importante para a afirmação estética do mangá. Séries como Card Captors Sakura, Samurai X, Video Girl, Shaman King e Yu YU Hakushô foram alguns dos grandes sucessos de vendas da editora no seu início.

As várias revistas de anime e mangás lançadas

revista de anime, revista anime do, calendario do ranma

Anime Do, Ultra Jovem, Henshin, Japan Fury, Animax, Neo Tokyo…várias são e foram as revistas lançadas no Brasil para falar sobre as séries japonesas e a cultura de seu país de origem. Além das séries que já haviam chego oficialmente ao Brasil, estas revistas traziam/trazem matérias sobre muitas outras até então totalmente desconhecidas no país.

A volta de Cavaleiros do Zodíaco a Tv

Em 2004, a Band passou a reexibir o anime de Cavaleiros do Zodíaco, desta vez com uma nova dublagem. Esse relançamento do anime no Brasil motivou a Conrad a relançar o mangá, com um papel diferente, e a lançar o mangá Cavalerios do Zodíaco- Episode G. Além disso, livros, bonecos e 8127281281 outros produtos licenciados. A volta de Cavaleiros reacendeu a chama da febre otaku no país, tornando este universo menos restrito.

A publicação  de Naruto e Panini Comics

Em 2006,Naruto ja fazia sucesso no Brasil, mas pela internet: fãs liam o mangá e assistiam o anime por sites que disponibilizavam material. Mas, em 2008, o anime chega oficialmente ao Brasile graças a isso, a Panini Comics, editora que até então só havia se aventurado no universo japonês com os mangás de Éden e Peach Girl, lança o seu mangá, no formato tankohon e alta fidelidade ao original japonês. O sucesso de vendas foi ( e é) tamanho que a editora passou a investir pesado no lançamento de outors mangás, como os famosos Bleach e Ouran  até mesmo os então desconhecidos Black Bird e Elfen Lied. Isso se mantém até hoje, pois a Panini é a editora que mais lança mangás nos últimos tempos, o que tornou o mangá  ainda mais popular no Brasil.

A expansão do acesso a Internet

A maior possibilidade de acesso à Internet é sem duvidas um dos fatores mais importantes não só para a popularização de animes e mangás, mas da própria cultura japonesa. Qualquer um agora pode pesquisar sobre uma série que ouviu falar, e conhecer novas. Essa maior capacidade de acesso a informações também influencia  editoras e emissoras  a escolherem o que podem lançar no Brasil.

Anúncios

Publicado em 18 de setembro de 2011, em Animes, Mangás, Matérias & Discussões e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. A Publicação de Naruto na TV foi a pior possível, One Piece então, eles estragaram tudo! tomara que parem de passar anime na TV, A editora manchete foi quem mais contribuiu! é a grande responsável pelo que o anime é hoje no Brasil

    • Sim sim, realmente, a adaptação que fizeram com Naruto e One Piece pecou em vários aspectos. É uma pena a Manchete não existir mais, gostaria de ter pego a fase em que ela ainda era ativa :/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: